Connect with us

Noticias

Professora de Porto Nacional grava documentário em chapada da Natividade-TO

Published

on

Localizada a 197 quilômetros da capital Palmas e próximo a cidade de Natividade _ TO, encontra-se o município de Chapada da Natividade, reconhecido como comunidade quilombola pela Fundação Cultural Palmares em 2006. Na zona rural também foi reconhecida outra comunidade, a São José.

Fundada na terceira década do século XVIII, sob a influência  da extração do ouro descoberto em suas terras, Chapada da Natividade possui uma arquitetura com casarões que marcam o estilo daquela época. Foram os descendentes de escravos que impulsionaram a povoação da cidade no final do século XVIII,nas proximidades do Posto de contagem de Chapada da natividade.

Apesar da sua fundação remontar ao século XVIII, a sua emancipação política somente ocorreu em 1º de Janeiro de 1996. De acordo com o Censo do IBGE, ano 2010, a população era de 3.277 habitantes, a estimativa para 2018 é de 3.334.

Como patrimônio histórico, a cidade possui a igreja de pedra, também conhecida como “Igreja dos Pretos” e “Igreja de Nossa Senhora do Rosário”. Segundo narrativa dos moradores, a obra foi iniciada por escravos fugidos, que se esconderam no local, entretanto foram capturados pelos feitores antes de concluírem a construção do templo. A igreja chama a atenção por sua beleza e estrutura.

A religiosidade é marcante na cidade, principalmente a católica. Anualmente, no mês de julho, são realizados os festejos do Divino Espírito Santo e da padroeira da cidade, Nossa Senhora de Sant’Anna. Os moradores explicam que a junção dos festejos deve-se à dificuldade que a comunidade possuía em encontrar padres para celebrarem as missas no mês de maio, uma vez que a paróquia era em natividade e os festejos do Divino coincidiam. Por isso, resolveram realizar os dois festejos no mês de julho.

Os festejos são tradicionais com a realização do reinado e festas do Capitão do mastro, costumes trazidos pelos portugueses para o Brasil.

Também é tradicional na comunidade a produção de bolos artesanais: bolo de arroz na palha da bananeira, trovão, amor perfeito e licores. A dança súcia e o toque de tambores estão sendo resgatados por um trabalho da equipe do Colégio Estadual Fulgêncio Nunes, possuindo como maiores incentivadores a professora Roberta Tavares de Albuquerque Menezes e o senhor Patricinho, membro da comunidade e folião, com o apoio da equipe gestora e demais professores.

Em 2016 o colégio passou a participar de uma pesquisa de Doutorado, com a professora e pesquisadora Nelzir Martins Costa (UFT- Araguaína), a qual realiza um trabalho de leitura literária de obras temáticas afrobrasileiras, distribuídas pelo Programa Biblioteca na Escola, com o objetivo de incentivar e fomentar a discussão das questões étnico-raciais na escola e assim promover a valorização e o empoderamento da cultura e da identidade negra.

A comunidade conta com uma Associação denominada Visão de Águia, a qual dá o suporte e pensa as ações necessárias para a manutenção e valorização da identidade quilombola. A associação tem como presidente a professora Edinalda Alves de Araújo Santana que vem desenvolvendo, juntamente com a sua equipe, um trabalho de relevância na comunidade.

Informações: Nelzir Martins Costa

Veja o Documentário a baixo:

 2,125 total views,  4 views today

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Noticias

SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO DE PORTO NACIONAL, SHYRLEIDE MAIA, ASSUME PRESIDÊNCIA DA UNDIME/TO

Published

on

SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO DE PORTO NACIONAL, SHYRLEIDE MAIA, ASSUME PRESIDÊNCIA DA UNDIME/TO

 

A União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), tem como objetivos defender a educação básica de qualidade como direito público e incentivar a formação dos Dirigentes Municipais de Educação para que, no desempenho de suas funções, contribuam decisivamente para a melhoria da educação pública.

 

Com o afastamento do antigo presidente e do vice-presidente, para o cumprimento do estatuto assume interinamente como Presidente da Undime / TO a Secretária de Assuntos Jurídicos, Shyrleide Maria Maia Barros, Dirigente Municipal de Educação (DME) de Porto Nacional, e o Secretário de Coordenação Técnica Marco Antônio Bento da Costa, DME de Caseara/TO como Vice-Presidente.

 

Em cada estado, os DME se organizam em seccionais da Undime, as quais podem se subdividir em microrregionais, para intensificar a comunicação e acelerar processos de mobilização. Além de promover as ações da Undime, as seccionais devem trabalhar de forma articulada com os princípios e as diretrizes da nacional.

 

A Undime a cada ano vem se fortalecendo, criando asas, e é nessa perspectiva que vamos continuar trabalhando. Precisamos avançar, seguir em frente. Principalmente nesse tempo que estamos vivendo. Agradeço a todos e em especial à Undime Nacional, na pessoa do Presidente Nacional, Luiz Miguel, em nos apoiar nas necessidades solicitadas, afirma a Presidente interina Shyrleide Maia.

 2,643 total views,  156 views today

Continue lendo

Noticias

Chefe do MPTO vai ao Palácio Araguaia protocolar documento com os nomes dos três candidatos a PGJ que formaram a lista tríplice

Published

on

Chefe do MPTO vai ao Palácio Araguaia protocolar documento com os nomes dos três candidatos a PGJ que formaram a lista tríplice

 

A Procuradora-Geral de Justiça (PGJ), Maria Cotinha Bezerra Pereira, esteve no fim da tarde desta segunda-feira, 19, no Palácio Araguaia, para protocolar o documento com o resultado da eleição que formou a lista tríplice destinada a escolha do próximo PGJ.  Na ocasião, a chefe do Ministério Público do Tocantins foi recebida pelo Secretário da Casa Civil, Rolf Vidal.

 

Com o ato, a PGJ cumpriu os termos da Lei Complementar nº 51/2008 que determina que a lista tríplice deve ser entregue ao Governador do Estado, no 1º dia útil após a proclamação do resultado do pleito, para que esta proceda com a indicação no prazo de 15 dias. A eleição ocorreu na última sexta-feira, 16.

 

Sessão CP

A polêmica que envolveu uma falha no sistema de votação, que computou o voto de uma colaboradora, foi um dos assuntos da pauta da Sessão do Colégio de Procuradores de Justiça (CPJ), realizada na tarde desta segunda-feira, 19. O órgão superior entendeu que, neste momento, não tem competência para apreciar nulidade da eleição e que o assunto é de competência originária do Conselho Superior do Ministério Público (CSMP. Neste sentido, a apreciação do CPJ só caberia em grau de recurso contra a decisão do referido conselho.

 

A maioria dos membros do Colégio de Procuradores de Justiça seguiu o mesmo entendimento da comissão eleitoral, de que a intercorrência ocorrida durante o processo de votação, relativa ao cômputo errôneo de um voto, tratou-se de mero problema de ordem técnica, sem má-fé, sem qualquer capacidade de interferência no resultado do pleito, porém avaliou que o colegiado só poderia apreciar a nulidade em grau recursal.

Também foi considerado o fato de que a intercorrência se caracterizou como pontual e está tecnicamente identificada e esclarecida pela equipe de Tecnologia da Informação do MPTO. A votação ocorreu online, via sistema interno.

 

A procuradora-geral de Justiça, Maria Cotinha Bezerra Pereira, decidiu não participar da sessão extraordinária que discutiu o assunto, por ela ter participado do pleito enquanto candidata. A sessão foi presidida pelo subprocurador-geral de Justiça, Marcos Luciano Bignotti.

 

Outras providências

O órgão superior também decidiu pela realização de uma auditoria externa pela Controladoria-Geral da União, informação dos fatos ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), além da instauração de sindicância interna para apurar as responsabilidades.

 

Assessoria de Comunicação do MPE-TO

 2,045 total views,  118 views today

Continue lendo

Noticias

MPE e Polícia Civil flagram uso de retroescavadeira do Município de Augustinópolis em propriedade particular

Published

on

MPE e Polícia Civil flagram uso de retroescavadeira do Município de Augustinópolis em propriedade particular

Após uma denúncia anônima, o Ministério Público Eleitoral (MPE) e a Polícia Civil do Tocantins apreenderam nesta segunda-feira, 19, uma máquina retroescavadeira que pertence ao município de Augustinópolis sendo utilizada em uma propriedade particular no município de Buriti do Tocantins. O promotor eleitoral da 21ª Zona Eleitoral do Tocantins, Paulo Sérgio de Almeida, e agentes da polícia civil flagraram o momento exato em que o funcionário da Prefeitura de Augustinópolis operava a retroescavadeira para construir um açude na propriedade rural.

De acordo com o promotor Paulo Sérgio de Almeida, as informações iniciais indicam que a retroescavadeira estava na propriedade particular desde o último domingo, 18, e que a autorização para a realização do serviço irregular teve motivações eleitoreiras. O atual prefeito é candidato a reeleição.

Estão sendo apurados os crimes de corrupção eleitoral e peculato. O operador da retroescavadeira já passou pela oitiva do Ministério Público. A Promotoria Eleitoral está levantando todas as informações para analisar as medidas judiciais cabíveis ao caso. (Luiz Melchiades)

 2,066 total views,  118 views today

Continue lendo

Frete Grátis para Porto Nacional

Facebook

Advertisement

Categorias

Trending

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com