Mulher é flagrada tentando entrar com drogas na Cadeia Pública de Guaraí

Uma jovem de apenas 20 anos, identificada como M. A. J. P., foi flagrada na tarde desta sexta-feira, 08, pelos servidores que trabalham na Cadeia Pública de Guaraí tentando levar drogas introduzidas em suas partes íntimas para seu marido, o reeducando Romulo Silva de Araújo, que cumpre pena na Cadeia por homicídio.

A direção da unidade prisional recebeu uma denúncia anônima de que a jovem carregava objetos ilícitos, a agente responsável por realizar revista pessoal nas visitantes percebeu que a denúncia poderia ser verdadeira devido ao comportamento da mulher, com isso, conduziu a visitante até a direção da Cadeia, onde ela acabou confessando e por vontade própria apresentando o ilícito.

Após o ocorrido, a jovem e seu marido foram conduzidos à delegacia da cidade para lavrar o flagrante. A mulher responderá pelo crime tipificado na Lei nº 11.343 de 2006 (Lei das Drogas), se condenada pode pegar pena entre 5 e 15 anos de reclusão; já o reeducando que receberia a droga responderá um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) em seu desfavor.

“Como a Cadeia é um estabelecimento penal e de segurança é nosso dever averiguar quando há suspeição de violação da segurança. Como a mulher estava sob suspeita, a questionamos se estava carregando material ilícito objeto da denúncia, ela acabou confessando que realmente estava com a droga e que retiraria o conteúdo de dentro de seu corpo. Acabou removendo, em um local sem presença masculina, um invólucro com algo parecido com maconha e um papelote com algo parecido com craque”, relatou o diretor da cadeia, Anderson Miranda.

O diretor também explicou que em nenhum momento a jovem passou por revista vexatória, algo a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) proíbem na Portaria SEDS/TO nº 1.014, de 15 de outubro de 2013, publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) nº 3.985, de 17 de outubro de 2013 e também no regimento interno da unidade. O diretor esclareceu que pelo o fato da jovem estar sob suspeita de tráfico e continuasse negando o acontecimento seria encaminha à delegacia de polícia para que o delegado desse continuidade a investigação. 

Fonte / Seciju

Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Anuncie aqui, clique aqui para entrar em contato.

Veja também

Porto Mídia - PodCast

Publicidade

WhatsApp Image 2021-12-06 at 18.51.44
WhatsApp Image 2021-11-20 at 07.01.56
WhatsApp Image 2021-11-19 at 12.16.21
271167716_1371306459985553_2769517668468713410_n
WhatsApp Image 2021-08-06 at 08.36.06
WhatsApp Image 2021-10-29 at 09.23.51

Anuncie aqui,
clique aqui para entrar em contato.

Já conhece nosso podcast?