Polícia Civil do Tocantins Deflagra Operação Ostentação em Palmas e Goiânia - Jornal Porto Midia

A primeira fase da “OPERAÇÃO OSTENTAÇÃO” deflagrada pela Polícia Civil do Estado do Tocantins, em atuação conjunta com a Diretoria de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública e Polícia Civil do Estado de Goiás,  resultou no efetivo cumprimento de mandados de buscas e apreensões domiciliares, sequestro e indisponibilidade de veículos e imóveis em Palmas/TO e Goiânia/GO.

Foram recuperados três automóveis de luxo, cuja soma de valor, pode chegar a 600 mil reais, dois imóveis, sendo uma cobertura e uma casa, em bairros nobres de Goiânia/GO, que podem ser avaliados em torno de 5 milhões de reais, além de vários outros objetos de alto valor.

Destaque-se que uma das casas possuía elevador panorâmico, além de Smart TV que custaria cerca de 50 mil reais, pisos vindos da Itália, lustres, entre outros objetos que podem ter custados mais de 900 mil reais. Foi ainda identificado um possível teto falso, aonde suspeita-se que servisse para guardar dinheiro em espécie e carteiras de Bitcoins levados pelos suspeitos. As contas bancárias e aplicações financeiras foram bloqueadas em até 1 milhão de reais. Dos 5 mandados de Prisões Temporárias, todos já são considerados foragidos não tendo sido encontrados nas residências, sem que fosse informado por familiares aonde estariam.

A investigação presidida pela Delegada de Polícia Civil, Milena Lima, titular da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos de Tocantins, teve início após serem identificados que clientes de 23 Estados do país tiveram suas contas bancárias invadidas e os valores furtados para realizações de transações ilícitas, consubstanciadas em diversos pagamentos e transferências em nomes de terceiros, destacando-se boletos de tributos, a exemplo de ICMS e IPVA, cujos elementos iniciais que viabilizaram a investigação foram difundidos pela Diretoria de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública e Diretoria de Inteligência e Apoio Estratégico da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Tocantins.

Estima-se que o prejuízo causado à instituição bancária, em um período inferior de poucos meses ultrapasse o valor de 1 milhão de reais, sendo que os investigados movimentavam quantias que podem superar a quantias que podem ultrapassar a quantia de 10 milhões de reais, considerando ainda os altos valores transacionados em Bitcoins. Os crimes eram praticados possivelmente com a utilização de máquinas virtuais em serviços de nuvens, com servidores instalados dentro e fora do país, e através softwares maliciosos possivelmente infectavam os dispositivos utilizados pelas vítimas para acessarem o internet banking, apoderando-se a partir de então dos dados dos clientes.

A soma de esforços das forças de combate à criminalidade desse país, reuniram a Polícia Civil do Tocantins, Diretoria de Inteligência do Ministério Extraordinário da Segurança Pública, Polícia Civil do Goiás e membros da Polícia Civil do Estado de São Paulo, contando com o empenho de mais de 70 policiais civis, entre Delegados de Polícia, Escrivães, Agentes, Técnicos e Peritos.

Veja o vídeo abaixo :

 

Fonte : SSP-TO

Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Anuncie aqui, clique aqui para entrar em contato.

Veja também

Porto Mídia - PodCast

Publicidade

300x250
Paulista
277158474_1419113205204878_6132805285539760849_n
WhatsApp Image 2022-02-24 at 15.13.31
WhatsApp Image 2021-11-19 at 12.16.21

Anuncie aqui,
clique aqui para entrar em contato.

Já conhece nosso podcast?