Projeto do MPTO voltado à segurança alimentar obriga municípios a cumprir legislação sanitária

Colaborar com a atuação dos promotores de Justiça que atuam na área do consumidor para que estes exijam a estruturação das vigilâncias sanitárias municipais e a regularização dos Serviços de Inspeção Municipal (SIM) é objetivo do Programa de Proteção Jurídico-Sanitária dos Consumidores, desenvolvido pelo Ministério Público do Estado do Tocantins (MPTO). O projeto foi desenvolvido pelo Centro de Apoio Operacional do Consumidor (Caocon), com base em levantamento sobre legislação sanitária e funcionamento do Serviço de Inspeção Municipal nos 139 municípios.

No início do levantamento dos dados, em 2017, o Caocon apurou que 56 municípios possuíam Código Sanitário Municipal vigente e 100 municípios haviam aprovado leis acerca do Serviço de Inspeção Municipal (SIM). Esses dados foram remetidos aos promotores de Justiça das 42 Comarcas do Tocantins, acompanhados de relatório sobre a situação dos respectivos municípios, além de material de apoio para subsidiar a atuação ministerial.

Após atuação do MPTO, verifica-se que, atualmente, 78 municípios possuem legislação sanitária própria, ou seja, 56,11%. Já em relação aos Serviços de Inspeção Municipal (SIM), esse número saltou para 109 municípios, compreendendo 78,42% dos municípios tocantinenses.

Idealizado pela coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Consumidor (Caocon), promotora de Justiça Araína Cesárea D’Alessandro, os benefícios esperados vão desde a redução do número de problemas de saúde decorrentes do consumo de alimentos impróprios, avariados ou adulterados; emancipação do consumidor quanto ao conhecimento necessário para efetivar seu direito à informação; orientação aos fornecedores acerca da necessária observância do regramento e fiscalização existentes sobre o tema. “Na maioria dos municípios, tem sido realizado um intenso trabalho educativo sobre as boas práticas de consumo”, ressaltou.

De acordo com a promotora de Justiça, com base em um novo levantamento sobre a situação das vigilâncias sanitárias nos 139 municípios, realizado junto à Diretoria de Vigilância Sanitária da Secretaria Estadual da Saúde, evidenciou-se que a média das metas pactuadas pelos 139 municípios nos indicadores de evolução das ações de cadastro, inspeção em estabelecimentos, ações educativas e outras atividades evoluiu de 85,49% em 2017, para quase 90% em 2018, reflexo da atuação do Ministério Público.

Em alguns casos, foi necessária uma atuação mais enérgica da Instituição, como é o caso do município de Tocantinópolis, onde houve o ajuizamento de duas ações, a primeira para a implantação do SIM e a segunda destinada à nomeação do médico veterinário, aprovado em concurso, para atuar na estrutura dos serviços de inspeção.

A concentração de esforços já resultou na instauração de 55 procedimentos, que incluem recomendações e ações civis públicas, com o intuito de reforçar a autonomia das vigilâncias sanitárias e dos serviços de inspeção. O prazo para cumprimento do projeto especial pelos órgãos de execução foi prorrogado pelo Conselho Superior do Ministério Público até novembro de 2019.

Projeto destaque
O Programa de Proteção Jurídico-Sanitária dos Consumidores foi um dos cinco projetos institucionais da área finalística que recebeu a medalha de ouro da Comissão Permanente de Gestão Estratégica (CPGE), por ter concluído as metas previstas para o ano de 2018.

Fonte / MPE-TO

Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Anuncie aqui, clique aqui para entrar em contato.

Veja também

Porto Mídia - PodCast

Publicidade

WhatsApp Image 2021-12-06 at 18.51.44
WhatsApp Image 2021-11-20 at 07.01.56
WhatsApp Image 2021-11-19 at 12.16.21
271167716_1371306459985553_2769517668468713410_n
WhatsApp Image 2021-08-06 at 08.36.06
WhatsApp Image 2021-10-29 at 09.23.51

Anuncie aqui,
clique aqui para entrar em contato.

Já conhece nosso podcast?