Vicentinho ultrapassa Kátia e tem campanha mais cara; Carlesse declara a 3ª maior despesa

Protagonistas do segundo turno da eleição suplementar, o senador Vicentinho Alves (PR) e o interino e governador eleito Mauro Carlesse (PHS) entregaram nesta semana o relatório final dos gastos de campanha à Justiça Eleitoral. Os números apresentados pelo parlamentar republicano o colocaram como o candidato que mais gastou no pleito, contratando R$ 4.845.928,43 em despesas. O gestor humanista ficou na terceira colocação em gastos, pagando R$ 2.758.945,50 para garantir a vitória.

Na avaliação de despesa por voto, Vicentinho Alves gastou R$ 39,75 por cada um dos 121.908 eleitores que o apoiaram no segundo turno. Já o desempenho de Mauro Carlesse fez com que cada apoio lhe custasse apenas R$ 7,48. O gestor humanista recebeu 368.553 votos na disputa com o senador republicano. Ambos os candidatos não apresentaram relatório parcial, por isso não foi possível conferir o valor do voto na primeira votação e comparar com o desempenho dos demais postulantes.

Desempenho questionado

O baixo custo do voto de Mauro Carlesse contrasta com a Ação de Investigação Eleitoral (Aije) apresentada por Vicentinho Alves contra o governador eleito. O senador acusou o gestor humanista de ter usado a máquina na campanha. A medida resultou em duas ações da Polícia Federal em órgãos estaduais. O processo corre em segredo de Justiça. “Senti, naturalmente, o peso da máquina pública. Senti demais. Era um Davi contra Golias”, afirmou o republicano logo após o fim da apuração do segundo turno.

Gastos dos candidatos

Com todas as contas apresentadas, Vicentinho Alves tomou a dianteira da senadora Kátia Abreu (PDT) como campanha mais cara da suplementar. A pedetista contratou R$ 4.180.057,61 em despesas para garantir o apoio de 90.033 eleitores no primeiro turno, o que dá R$ 46,42 por voto. Logo atrás da congressista aparece o governador eleito Mauro Carlesse.

Candidato da coligação “A Verdadeira Mudança”, Carlos Amastha passou a ficar na quarta colocação com a declaração das contas de Mauro Carlesse e Vicentinho Alves. Com despesas declaradas de R$ 2.403.256,62, o pessebista conquistou 123.103 eleitores. Na avaliação de despesa por resultado, o ex-prefeito gastou R$ 19,52 por voto recebido no primeiro turno.

Apesar do bom desempenho de Carlesse, Márlon Reis (Rede) e Marcos Souza (PRTB) ainda são os responsáveis pelos votos mais baratos da suplementar. Ambos gastaram apenas R$ 4,36 por eleitor conquistado. Entretanto, a diferença de desempenho entre os dois no primeiro turno foi enorme. O primeiro angariou 56.952 votos e ficou na quinta colocação, enquanto o segundo candidato somou o apoio de 2.794 eleitores, amargando a última colocação, com ou sem Mário Lúcio Avelar no páreo.

Outra diferença significativa entre os dois foi o investimento. A campanha do candidato do Rede Sustentabilidade declarou R$ 248.764,61 em despesas, colocando-o como a quinta campanha mais cara entre todos os candidatos. Porém, o valor é bem abaixo dos anunciados por Mauro Carlesse, Vicentinho Alves, Kátia Abreu e Carlos Amastha. Já Marcos Souza afirma ter gasto míseros R$ 12.190,00.

 

 

 

(Fonte: Portal CT)

Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Anuncie aqui, clique aqui para entrar em contato.

Veja também

Porto Mídia - PodCast

Publicidade

WhatsApp Image 2021-12-06 at 18.51.44
WhatsApp Image 2021-11-20 at 07.01.56
WhatsApp Image 2021-11-19 at 12.16.21
271167716_1371306459985553_2769517668468713410_n
WhatsApp Image 2021-08-06 at 08.36.06
WhatsApp Image 2021-10-29 at 09.23.51

Anuncie aqui,
clique aqui para entrar em contato.

Já conhece nosso podcast?